Casa Real Portuguesa

Casa Real Portuguesa
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Alface-do-Mar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Manuel Das Couves



Mensagens : 10
Data de inscrição : 18/10/2011

MensagemAssunto: Alface-do-Mar   Seg Out 24, 2011 4:17 pm

As alfaces-do-mar são um grupo de algas verdes comestíveis que pertencem ao género Ulva. Têm uma distribuição ampla, ao longo das costas dos oceanos do planeta.

Estas espécies de alface-do-mar são comidas populares nos locais onde ocorrem, nomeadamente na Escandinávia, Grã Bretanha, Irlanda, China e Japão (onde são conhecidas como "aosa"). Podem ser comidas cruas em saladas ou cozidas em sopas, sendo ricas em proteínas, fibras e numa variedade de vitaminas e minerais, incluindo o ferro.

Nome Científico: Fucus vesiculosus L.
Nome Popular: Fucus, Alface do Mar, Cavalo Marinho, Cavalinho do Mar e Alga
Vesiculosa, no Brasil; Bodelha, Botilhão, Botelho, Botilhão Vesiculoso, em Portugal;
Lechuga de Mar, Fuco Vejigoso, Sargazo Veijigoso e Encina Marina, em língua
espanhola; Chêne Marin, Varech, Laitue Marine, Verech Vesiculeleux, na França;
Seeiche e Blasentang, na Alemanha; Bladderwrack, Seawrack, Kelpware, Black-tang,
Bladder Fucus e Cutweed, em inglês.
Denominação Homeopática: Fucus vesiculosus
Família Botânica: Fucaceae.
Parte Utilizada: A alga inteira, em especial o talo.
Princípios Ativos: Polissacarídeos mucilaginosos: ácido algínico, fucoidina (60%),
laminarina; Polifenóis; Oligoelementos; Sais minerais: abundante em iodo (sob a
forma de sal e unido a proteínas e lipídeos), potássio, bromo, cloro, magnésio, fósforo,
cálcio e ferro; Manitol; Princípios amargos; Lipídeos (glucosildiacilglicerídeos);
Vitaminas e Provitaminas A e D.
É uma alga castanha encontrada em abundância nas costas do Atlântico, Pacífico e
Mar do Norte, atingindo até 1 metro de comprimento, de talo achatado, foliáceo,
regularmente dicotômico, com pequenas vesículas repletas de ar dispostas
ordinariamente aos pares e servindo de flutuadores; o talo é fixado ao rochedo por um
disco basiliar provido de rizóides; quando se agitam os conceptáculos, situados nas
extremidades dos talos, liberam um muco avermelhado ou amarelado, os anterídeos,
elementos masculinos, e as oosferas, elementos femininos: a fusão faz-se na água,
ocorrendo germinação imediata.
Tem sabor salgado ou insípido, mucilaginoso. Foi muito utilizado no século XVIII no
tratamento da asma.
Indicações e Ações Farmacológicas: É indicada no tratamento do hipotireoidismo e
em disfunções da tireóide devido à grande concentração de iodo, conferindo-lhe uma
ação estimulante da tireóide, favorecendo os processos catabólicos, regularizando a
produção do hormônio tireotrofina e acelerando o metabolismo da glicose e ácidos
graxos, sendo este o motivo do uso como coadjuvante em tratamentos de perda de
peso.
A algina presente na alga atua como protetor das mucosas digestivas. Os sais de
potássio promovem ligeira ação diurética. O alginato de cálcio pode ser usado como um
hemostático local de ação rápida. A laminarina exerce uma ação hipocolesterolemiante.
Toxicidade/Contra-indicações: Quando a administração é feita de forma incontrolada
(frequentemente como automedicação para perder peso) ou em caso de
hipersensibilidade pessoal, pode haver a manifestação de um quadro de intoxicação
pelo iodo presente, devido
a uma hiperatividade da tireóide, caracterizada por um quadro de ansiedade, insônia,
taquicardia e palpitações.
É contra-indicada a prescrição de tinturas e extratos fluidos para crianças menores de
dois anos e para pessoas que estejam sendo submetidas à desabituação alcoólica,
devido a presença de álcool. Não se deve prescrever também para pessoas que
estejam fazendo tratamento com hormônios tireoidianos.
Dosagem e Modo de Usar:
· Uso Interno:
-Decocção: 10-20 g/l. Ferver durante 5 minutos, duas a quatro vezes ao dia.
-Extrato Fluido (1:1): 20 a 40 gotas, uma a três vezes ao dia, antes das refeições.
-Tintura (1:5): 50-100 gotas, uma a três vezes ao dia.
-Xarope (10% de Extrato Fluido): uma colher de sopa, uma a cinco vezes ao dia.
-Extrato Seco (5:1): 0,3 a 1g/dia.
-Pó: 0,5 a 2 gramas, uma a três vezes ao dia, em cápsulas.
· Uso Externo:
-Decocção, aplicada sob a forma de compressas.
-Cataplasmas de algas frescas.
-Banhos.
-Pomadas.
-Pó, alginato de cálcio: aplicado sobre feridas como cicatrizante.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Alface-do-Mar
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Frases 100 noção

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Casa Real Portuguesa :: Saúde e alimentação-
Ir para: